Tanabata Matsuri – O Festival das Estrelas na Liberdade
06/07/2015
0 comentários
Compartilhar

Tanabata Matsuri – O Festival das Estrelas na Liberdade

FacebookTwitterGoogle GmailShare

Neste último fim de semana o Bairro da Liberdade – SP recebeu o festival Tanabata Matsuri, típica festa japonesa na qual supostamente os pedidos daqueles que acreditam são atendidos. O Humanoides foi lá conferir e contar pra vocês que foi bem legal!

Fomos no domingo, estava beeeem cheio, de não poder andar, mas as atrações no palco atraíram a grande maioria da multidão para lá. A outra metade do pessoal aproveitava as barraquinhas de comidas típicas e bijuteria, artesanato e tudo mais que sempre tem por lá no fim de semana.

A barraquinha dos tanzakus – papelzinhos que a gente escrevia e colocava os pedidos pendurados nas árvores também estava bombando. Cada papelzinho era 2 reais e as cores simbolizavam a origem do desejo: rosa para amor, vermelho para paixão, amarelo para dinheiro, branco para paz, etc.

No Brasil, o Festival das Estrelas – Tanabata Matsuri – é realizado desde 1979 pela ACAL – Associação Cultural e Assistencial da Liberdade e pela Associação da Província de Miyagi, na praça da Liberdade, em São Paulo, sempre no mês de julho. Shows de cantores, taikô, dança folclórica e variedades fazem parte das atrações do Tanabata Matsuri, que é a principal atividade anual do bairro.

No Tanabata, as ruas do bairro e a praça da Liberdade são decoradas com grandes ramos de bambu que recebem a ornamentação de enfeites coloridos de papel que simbolizam as estrelas. Nesses bambus são pendurados os tanzaku, pequenos pedaços também coloridos de papel onde as pessoas colocam seus pedidos.

No Japão, o festival de Tanabata é realizado em várias cidades, mas o de Miyagui é o mais tradicional. Lá se realiza em agosto, para aproveitar as férias de verão das escolas. O Tanabata teve início há mais de 1.150 anos, na Corte Imperial, e a data tornou-se feriado nacional em 1603.

O festival tem como origem uma lenda japonesa. Orihime era a filha de um poderoso deus do reino celestial. Certo dia, estando diante de seu tear, viu passar um rapaz conduzindo um boi, e por ele se apaixonou. O pai consentiu o casamento dos dois jovens. Porém, casados e totalmente dominados pela paixão, ambos descuidaram-se de seus afazeres normais. Foi então que, o pai indignado, ordenou que eles vivessem separados, um de cada lado da Via Láctea.

Ele permitiria que, entretanto, o casal se reencontrasse apenas uma vez por ano, no sétimo dia do sétimo mês, se cumprisse à ordem do pai, que era atender os pedidos vindos da Terra. Segundo a mitologia japonesa, Orihime é representada pela estrela Vega, e o rapaz, a estrela Altair, do lado oposto da galáxia, que realmente só se encontram uma vez por ano.

Nos vemos lá ano que vem!

FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

Mah

Mah

Professora de inglês, redatora nas horas vagas, cinéfila, bookworm, jukebox ambulante, gamer, chef de cozinha amadora, geek e caçadora de arte underground/independente. DON'T PANIC!

Comentários

Sem Comentários Ainda Você pode ser o primeiro a comentar neste post!

Escrever comentário

Seus dados estarão seguros! Seu endereço de email não será publicado. Seus outros dados também não serão compartilhados com terceiros. Os campos obrigatórios estão marcados como *