Blackstar (2015): A despedida do camaleão do rock
18/01/2016
David MacLeod (41 artigos)
0 comentários
Compartilhar

Blackstar (2015): A despedida do camaleão do rock

FacebookTwitterGoogle GmailShare

Desde o ano passado eu já tinha em mente meu primeiro texto de 2016, seria uma análise do último álbum de um determinado artista, gravado “na prorrogação”, já que logo ele estaria morto e este álbum seria seu presente de despedida aos fãs, porém confesso que havia esquecido completamente que “Blackstar”, vigésimo quinto álbum de David Bowie, seria lançado em seu aniversário de 69 anos, ocorrido no dia 08/01. Ok, mudança de planos, bora escrever sobre ele, tracklist anotado, download feito, eu já estava pronto para passar a noite da última segunda  escrevendo a respeito, então imagine minha surpresa na manhã: David Bowie está morto. Enquanto escrevo, suas derradeiras músicas tocam de fundo, e a pergunta que passa pela minha cabeça é: há indicação de que esse seria seu canto do cisne?

“Blackstar” é um álbum no padrão – Bowie, uma mistura de jazz eletroacústico com canções climáticas, um álbum menos pop, ou anti-pop, se preferir, não muito diferente de outras incursões do camaleão, mas sem cair no autoplágio e sem se esbaldar num tom triste, o que seria de se esperar, principalmente levando-se em conta que ele havia sido diagnosticado com câncer 18 meses antes e estava ciente de que possivelmente esse seria seu último álbum. Aqui e acolá surgem versos onde Bowie dá dicas sobre seu estado (“Olhe aqui em cima/ estou no céu/ tenho cicatrizes que não podem ser vistas” ou “Eu estou morrendo também “, para citar alguns), mas não há um tom triste, não há nenhuma tentativa de fazer o ouvinte sentir pena, ou mesmo uma tentativa de autocelebração, há apenas o som de um artista fazendo seu trabalho. “Blackstar” apontava uma nova direção na carreira de Bowie, então só nos resta lamentar pela passagem de um artista tão completo.

“Ver mais e sentir menos
O não que significa sim
Isso é tudo que eu sempre quis dizer
Essa é a mensagem que enviei.”

Descanse em paz, David.

Tracklist:
1- Blackstar
2- Tis a pity she was a whore
3- Lazarus
4- Sue (Or in a season of crime)
5- Girl loves me
6- Dollar days
7- I can’t give everything away

FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

David MacLeod

David MacLeod

Apenas mais um tijolo na parede. Hater da Marvel e Amante da DC, mas as vezes se atreve ler algo da Casa das Ideais, pois o Stan Lee é o rei.

Comentários

Sem Comentários Ainda Você pode ser o primeiro a comentar neste post!

Escrever comentário

Seus dados estarão seguros! Seu endereço de email não será publicado. Seus outros dados também não serão compartilhados com terceiros. Os campos obrigatórios estão marcados como *