Game Review: Wild Arms 5, o RPG que vai fazer você quebrar a cabeça
17/02/2015
0 comentários
Compartilhar

Game Review: Wild Arms 5, o RPG que vai fazer você quebrar a cabeça

FacebookTwitterGoogle GmailShare

Ano: 2008
Desenvolvedor: XSEED Games
Plataforma: Playstation 2
Gênero: RPG, turn-based
Nota: 4/5

Wild Arms 5 é um RPG japonês desses que vão fazer você ficar horas resolvendo puzzles e treinando para subir de level. O jogo é bem longo, cerca de 200 horas aproximadamente. É claro que sempre vai ter um asiático de 10 anos que terminou em 10 horas mas, se você for uma pessoa normal, vai demorar bastante para fechá-lo, se conseguir.

Digo “se conseguir” porque os puzzles dentro das dungeons vão ficando cada vez mais difíceis e “chatos”, desses que exigem habilidades e dedos ágeis, coisas que, normalmente os jogadores de RPGs de turno não tem.

A história é bem rica em detalhes, bem interessante e cômica, a ponto de te prender para você não pular os CGs para não perder nenhuma piada. O “figurino” dos personagens é muito bem detalhado, lembrando a aparência dos animes. O cenário é de western com magia/tecnologia, uma coisa meio Steampunk no meio do faroeste.

A jogabilidade é bem elaborada, não é só atacar e pronto. Acredito que isso seja um ponto positivo, pois essa é a graça dos RPGs de turno: estratégia e raciocínio lógico para vencer e alcançar mais pontos de experiência. No Wild Arms 5, as batalhas acontecem em um tabuleiro de hexagramas, no qual cada hexagrama pode ser encantado tanto pelo inimigo quanto por você, de várias formas diferentes, afim de afetar todos que estão no hexagrama no momento.

Mas como nada é perfeito, Wild Arms 5 peca na falta de praticidade do mapa do mundo. O mapa não aparece na tela de forma prática, e sim só o contorno de terra, então o jogador tem que ficar toda hora abrindo o mapa grande e olhando exatamente para onde você está indo, o que faz com que você se perca com mais facilidade, porque a cada vez que você sai da tela e vai para o mapa, você corre o risco de mexer a câmera e pronto, saiu do norte.

Isso é bem ruim as vezes porque o jogo exige que você ande MUITO, e normalmente a pé, ou seja, é bom se acostumar com esse probleminha do mapa, porque vai ser bem comum se perder até pegar o jeito. A sorte é que a trilha sonora é MUITO boa então é até agradável se perder no mapa do mundo, gigante, por sinal.

Arrisco dizer que Wild Arms 5 está no meu top 5 de RPGs para Playstation 2. Confira o gameplay:

FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

Marcadores Wild Arms 5, XSEED Games
Mah

Mah

Professora de inglês, redatora nas horas vagas, cinéfila, bookworm, jukebox ambulante, gamer, chef de cozinha amadora, geek e caçadora de arte underground/independente. DON'T PANIC!

Comentários

Sem Comentários Ainda Você pode ser o primeiro a comentar neste post!

Escrever comentário

Seus dados estarão seguros! Seu endereço de email não será publicado. Seus outros dados também não serão compartilhados com terceiros. Os campos obrigatórios estão marcados como *