Perambulação (2017) – A Insônia Como Metáfora da Dualidade Humana
13/08/2017
Eduardo Kacic (60 artigos)
0 comentários
Compartilhar

Perambulação (2017) – A Insônia Como Metáfora da Dualidade Humana

FacebookTwitterGoogle GmailShare

Como sempre aqui no Humanoides, esta vitrine para o cinema independente brasileiro, procuro discorrer sobre alguns exemplares desta modesta porém transbordante vertente do cinema nacional: os curta-metragens. Cineastas como o pernambucano Lula Magalhães, o goiano Absair Weston e sua filha Jackeline, são alguns dos expoentes dos curtas nacionais sobre os quais já falei aqui. Outro nome a surgir no horizonte é o também goiano Samuel Peregrino, com este seu curta Perambulação (Brasil, 2017).

Lançado exclusivamente em plataforma on demand, contrariando o costume da maioria dos diretores de curtas nacionais, que preferem tentar lançar seus filmes em festivais, o curta-metragem foi lançado na internet através do site Snapcine, plataforma on demand voltada exclusivamente para produções nacionais, sejam elas filmes de longa-metragem, séries, documentários ou curtas.

Na produção, Tiago Rener interpreta o protagonista Nathanael, um jovem vigia-noturno que sofre de insônia, e vive cochilando no serviço. Entretanto, sua insônia tem motivo: um pesadelo recorrente, que se repete noite após noite. Numa tarde, Nathanael comparece à uma consulta com o Dr. Coppelius (Carlos Brandão), que lhe apresenta um novo e infalível método para evitar os pesadelos que lhe tiram o sono. Agora, Nathanael começa a trilhar um perigoso caminho, onde a tênue linha entre o que é real e o que não é, acabou de ser ultrapassada.

Escrito e dirigido por Peregrino, Perambulação transpira uma energia bastante interessante e evidente em todos seus onze minutos de duração. A trama é intrincada e confusa, e confesso que mesmo eu não creio ter compreendido tudo o que Peregrino e seu curta querem dizer. Mas acredito que este é justamente um dos resultados que o jovem diretor queria alcançar com seu filme: levar o público à reflexão, ainda que sem a certeza do que é concreto para que possa se apoiar.

Tal efeito narrativo coloca o público em uma rota muito parecida com a do atormentado protagonista da produção, que perambula pelas noites em busca de uma resposta ao mal que o tortura, e que ganha contornos artísticos graças à excelente edição à cargo de Marcos Bruno. Atrevo-me a dizer que muito do bom resultado final do curta, está em sua arrojada montagem. Marquem este nome: Marcos Bruno. O rapaz é bom.

Flertando com o thriller de suspense, com os elementos Sci-Fi, mas utilizando o pesadelo da insônia como um agravante narrativo bastante realista, Peregrino alcança um resultado muito interessante com seu Perambulação, mais um exemplar deste modesto, porém cheio de energia e fervilhante gênero do cinema nacional, que merece ser descoberto.

Conforme mencionado, Perambulação pode ser conferido neste link, na plataforma Snapcine: http://www.snapcine.com/videos/curtas/perambulacao/

FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

Eduardo Kacic

Eduardo Kacic

Eduardo Kacic é roteirista de longa-metragens, crítico de cinema, palestrante e tradutor cinematográfico. Criador do extinto blog Gallo Movies, colaborou também com os blogs Formiga Elétrica e Filmes e Games. É colunista do Mundo Blá, e agora é colaborador Humanoides desde criancinha. É São-Paulino doente, marido apaixonado da Lígia Oliveira e pai do Pedro Ceni. Sim, o sobrenome é em homenagem ao M1TO.

Comentários

Sem Comentários Ainda Você pode ser o primeiro a comentar neste post!

Escrever comentário

Seus dados estarão seguros! Seu endereço de email não será publicado. Seus outros dados também não serão compartilhados com terceiros. Os campos obrigatórios estão marcados como *