Kouka (2017) – A Delicadeza de uma Cineasta de Futuro
29/03/2017
Eduardo Kacic (60 artigos)
2 comentários
Compartilhar

Kouka (2017) – A Delicadeza de uma Cineasta de Futuro

FacebookTwitterGoogle GmailShare

Discreto e delicado, o curta Kouka (Brasil, 2017), nova produção da Weston Filmes, também conhecida como Seven Moving Pictures, uma pequena mas prolífica produtora nacional, capitaneada pelo cineasta Absair Weston, marca a terceira incursão da jovem diretora Jackeline Weston, que mostra imensa sutileza e timing apurado, em seu breve porém relevante olhar sobre o uso indiscriminado dos agrotóxicos, e seus perigosos efeitos colaterais, tanto os que se manifestam fisicamente, como principalmente, os que se ocupam da destruição da percepção e da sensitividade humana.

Com apenas onze minutos de duração, o curta-metragem foca no personagem Shoiti (Shoiti Koga), um jovem de origem japonesa, que ao lado de sua família, sobrevive como agricultor na cidade de Anápolis, no estado de Goiás. Na cena inaugural da produção, Shoiti está borrifando agrotóxicos na plantação em que trabalha, e à partir desta sequência, Jackeline desenrola um pequeno relato, onde Shoiti vivencia uma dura e inesperada experiência, com resultados reveladores, que levam público e protagonista à reflexão.

Assim como em minha crítica de outro curta independente nacional, o forte Mandala Night Club, dirigido pelo cineasta pernambucano Lula Magalhães, e publicada aqui mesmo no Humanoides, decidi escrever sobre este outro curta do jovem e batalhador cinema nacional, que tanto na figura de Lula, como na figura de Jackeline Weston, mostra que ainda tem muito a dizer.

Em Kouka, filme todo produzido pelo clã Weston (o pai, Absair, ficou encarregado da direção de produção, enquanto que Priscila Weston, irmã da diretora, é responsável pela produção da obra), Jackeline demonstra estilo e mão firme, sem abrir mão da delicadeza. Tal cuidado com a produção é sentida especialmente na fotografia clean de Matheus Leandro, e na interpretação contida mas profunda de Shoiti Koga. A proposta do filme, que aparentemente parece tratar-se apenas de um manifesto verde contra o uso dos agrotóxicos, revela um subtexto surpreendente e altamente dramático, onde Jackeline mostra que pode ser um dos novos grandes nomes do cinema brasileiro.

Há alguns pequenos problemas na produção, como um excessivo uso desnecessário da tela escurecida. Apesar de oferecer o efeito “sensorial” que a diretora estava procurando, o recurso nem sempre funciona, ao contrário por exemplo da excelente utilização da canção “Home“, de Yukiyo Nakamura, que fecha a produção com extrema beleza. De proposta relevante e execução louvável, este poético Kouka é a evidente demonstração do talento da promissora diretora e roteirista Jackeline Weston, que discorre com propriedade sobre a natureza e sua inexorável conexão com o homem, ainda que este, infelizmente, insista em destruí-la. E ao destruí-la, destrói a si mesmo.

Kouka não tem previsão de lançamento junto ao público, mas deve (e merece) ser lançado em festivais nos próximos meses.

FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

Nota
4 de 5
No Geral

Kouka é a evidente demonstração do talento da promissora diretora e roteirista Jackeline Weston, que discorre com propriedade sobre a natureza e sua inexorável conexão com o homem.

4

Bom
4 de 5
Eduardo Kacic

Eduardo Kacic

Eduardo Kacic é roteirista de longa-metragens, crítico de cinema, palestrante e tradutor cinematográfico. Criador do extinto blog Gallo Movies, colaborou também com os blogs Formiga Elétrica e Filmes e Games. É colunista do Mundo Blá, e agora é colaborador Humanoides desde criancinha. É São-Paulino doente, marido apaixonado da Lígia Oliveira e pai do Pedro Ceni. Sim, o sobrenome é em homenagem ao M1TO.

Comentários

  1. […] alguns meses, publiquei aqui mesmo no site Humanoides (uma vitrine já conhecida para a divulgação do cinema independente […]
  2. […] as críticas de dois curtas da jovem e talentosa cineasta brasileira Jackeline Weston; o poético Kouka, e o sensível O Tempo de Tomás. Jackeline é filha do também cineasta e produtor Absair Weston, […]

Escrever comentário

Seus dados estarão seguros! Seu endereço de email não será publicado. Seus outros dados também não serão compartilhados com terceiros. Os campos obrigatórios estão marcados como *