Extraordinary Tales – Homenagem Animada ao mestre Edgar Allan Poe
25/02/2016
Eduardo Kacic (60 artigos)
0 comentários
Compartilhar

Extraordinary Tales – Homenagem Animada ao mestre Edgar Allan Poe

FacebookTwitterGoogle GmailShare

O conceito por trás da concepção e execução desta antologia de animação Extraordinary Tales, produção conjunta de diversos países, mais precisamente Luxemburgo, Espanha, Bélgica e EUA, e cuja versão final foi terminada em 2013, é nada menos do que brilhante. Dividida em cinco segmentos, a animação faz uma releitura de alguns dos mais conhecidos contos do pioneiro mestre do Horror e suspense Edgar Allan Poe, ao mesmo tempo em que o homenageia em seus originais e poéticos prólogo e epílogo. Uma pena o resultado final da produção ser apenas regular.

O principal problema do filme é sua duração. De parcos 73 minutos, a produção apressa demais seus cinco segmentos, condensando em excesso as histórias de Poe, que mereciam narrativas um pouco mais trabalhadas.

Dirigido pelo espanhol Raul Garcia, animador experiente com participações em títulos importantes da Disney como O Rei Leão e Aladdin, Extraordinary Tales não decepciona nas diferentes técnicas de animação que apresenta. Cada um dos segmentos, assim como seus prólogo e epílogo, apresentam diferentes tipos de animação, e todas funcionam à perfeição para traduzir as assombradas palavras de Poe, e transformá-las em novas versões das visões do lendário autor. O filme adapta os contos A Queda da Casa de Usher, O Coração Revelador, Os Fatos no Caso do Sr. Waldemar, O Poço e o Pêndulo, e A Máscara da Morte Vermelha. E apesar do visível carinho e cuidado de Garcia com cada um dos segmentos, é visível sua pressa desnecessária com o roteiro também de sua autoria. Ainda assim, cada um dos episódios apresentam inegáveis qualidades, especialmente em suas narrações.

Sim, cada um dos episódios é contado por um narrador diferente, e é justamente aí que se encontra a maior qualidade do filme, já que Extraordinary Tales conta com as narrações de nomes lendários do cinema (principalmente do gênero Horror), como os dois eternos “Conde Drácula” Bela Lugosi e Christopher Lee, e o diretor Roger Corman (Frankenstein: O Monstro das Trevas), além do genial cineasta Guillermo Del Toro, e o ator Julian Sands (da franquia Warlock: O Demônio). No caso da narração de Lugosi, foi utilizada uma gravação em arquivo, já que Lugosi faleceu há longos 60 anos, em 1956.

Infelizmente, não posso dizer que Extraordinary Tales seja indispensável para os fãs do Horror, ou mesmo para os fãs do grande Edgar Allan Poe. Entretanto, é o tipo de produção que nenhum cinéfilo ou fã do gênero gostaria de perder, graças aos nomes de cacife envolvidos na produção, e principalmente, pelo respeito com que o nome e o legado de Poe são tratados aqui. Afinal, nunca um autor deste gênero que amo tanto, teve uma relação tão íntima com a morte, sendo esta relação o principal combustível para estimular nossos maiores medos, não é verdade?

FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

Nota
6 de 5
No Geral

Infelizmente, não posso dizer que Extraordinary Tales seja indispensável para os fãs do Horror, ou mesmo para os fãs do grande Edgar Allan Poe.

6

Excelente
6 de 5
Eduardo Kacic

Eduardo Kacic

Eduardo Kacic é roteirista de longa-metragens, crítico de cinema, palestrante e tradutor cinematográfico. Criador do extinto blog Gallo Movies, colaborou também com os blogs Formiga Elétrica e Filmes e Games. É colunista do Mundo Blá, e agora é colaborador Humanoides desde criancinha. É São-Paulino doente, marido apaixonado da Lígia Oliveira e pai do Pedro Ceni. Sim, o sobrenome é em homenagem ao M1TO.

Comentários

Sem Comentários Ainda Você pode ser o primeiro a comentar neste post!

Escrever comentário

Seus dados estarão seguros! Seu endereço de email não será publicado. Seus outros dados também não serão compartilhados com terceiros. Os campos obrigatórios estão marcados como *