12 anos de Escravidão: A promessa do Oscar 2014
26/02/2014
Alexandre R. Damião (56 artigos)
0 comentários
Compartilhar

12 anos de Escravidão: A promessa do Oscar 2014

FacebookTwitterGoogle GmailShare

12 anos de Escravidão conta a história de Solomon Northup (interpretado por Chiwetel Eijofor), um escravo liberto que tem uma ótima habilidade com violinos, morava em Saratoga – Nova Iorque, estava vivendo a sua vida muito bem com seus filhos Margaret, Alonzo e sua esposa Anne Hampton, até que nesse mesmo foi abordado por três senhores, Mr. Moon, Mr. Brown e Mr. Hamilton respectivamente. Eles apareceram como quem estavam muito interessados pelas habilidades de Solomon, oferecendo dinheiro e viagens pelo país. Tudo parecia estar indo muito bem até o momento que eles jantaram juntos, onde já é possível ver uma nítida mudança no semblante de um dos senhores ao ver que Solomon tomou a bebida, que a partir desse momento era notável ver que estava com remédio ou droga que o fizesse desmaiar. Ele acorda em uma cela com roupas de pano usadas e gastas, acorrentado em suas pernas e mãos sem entender ao menos o que está acontecendo, tenta se explicar para os senhores que entram pela porta da cela, mas com certeza por ser na época de escravidão, ele apanharia por tentar entrar em alguma lógica por aqueles que só sabiam bater e açoitar pessoas.

No desenrolar do filme, ele encontra outras pessoas e é comprado pelo Sr.Ford (Benedict Cumbercatch) que pareceu ser um escravizador muito gentil e educado, mas o ciúme de seu criado chamado Tibeats (Paul Dano) por causa de ver Solomon se sobressair por sua intelegência ocasionou uma briga entre Tibeats e Sr.Ford, fazendo com que assim Solomon fosse vendido para trabalhar em uma fazenda de algodão na região de Lousiana, onde o dono das terras é Edwin Epps (Michael Fassbender, interpretou Viktor “Magneto” em X-Men: Primeira Classe) e sendo resgatado doze anos depois por um homem muito bom chamado Bass (Brad Pitt).

Entendendo o porquê de ele ter recebido nove indicações ao Oscar
Diferentemente de “Trapaça” e “Gravidade” que também são favoritos para o Oscar. “12 anos de Escravidão” tem um tema muito forte de relevância social e que realmente aconteceu, contou a história de um homem livre que foi sequestrado e vendido nos Estados Unidos antes de ocorrer a Guerra Civil. Sem contar em minha opinião é o melhor filme sobre a luta dos negros por direitos iguais. A atuação de Michael Fassbender no filme foi tão boa que em certos momentos te deixará revoltado com suas atitudes no filme, ele conseguiu mostrar com total clareza o quão o homem era cego e impiedoso num tempo onde quem fazia as leis eram os homens brancos. Mas quem realmente merece aplausos é a personagem Patsey (Lupita Nyong’o) que está concorrendo no quesito “Melhor Atriz Coadjuvante” pela sua interpretação, em alguns momentos do filme ela irá fazer querer chorar com a agonia e desespero que ela passa. Levou prêmios importantíssimos como Globo de Ouro, o Critics Choice Awards e muitos outros sem contar que Brad Pitt fez uma ponta no filme, o que aos olhos de muita gente será muito bom pela sua atuação no filme que foi pequena, mas deixou sua marca.

Cena onde Patsey (Nyong’o) tenta se explicar para Edwin (Fassbender) o motivo de ela ter saído da fazenda, Solomon (Eifojor) tenta intervir na situação mas falha.

De um irmão para outro
Algumas cenas em “12 Anos de Escravidão” me deixaram muito revoltado, não só pelo fato de ser um negro falando de um filme onde outro negro é sequestrado e forçado a viver como escravo por doze anos, mas sim como pessoa, não conseguir e nem querer entender o porquê de tanta brutalidade com pessoas que são iguais. Ter que ser subjugado e trabalhar forçadamente em condições escassas e precárias, obedecer a seu mestre para não tomar cem chibatadas porque um livro disse que teria que ser assim, isso é uma demonstração de pura e completa ignorância. O filme demonstrou bem que a escravidão não é algo que mereça ser comemorado todos os anos para reviver momentos terríveis da história como esse. Cor de pele não define diferenças, mentalidades definem.

Segue abaixo o trailer legendado do filme e não percam o Oscar  neste domingo, 2 de Março ás 23h na TNT.

 

http://youtu.be/B2UNiMIxOm0

FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

Alexandre R. Damião

Alexandre R. Damião

Estudante de Jornalismo e amante da fotografia, gosta muito da cultura, comida e animação japonesa. Lê alguns livros quando tem tempo, mas prefere mangás. Gosta muito de dançar, principalmente se forem jogos de dança.

Comentários

Sem Comentários Ainda Você pode ser o primeiro a comentar neste post!

Escrever comentário

Seus dados estarão seguros! Seu endereço de email não será publicado. Seus outros dados também não serão compartilhados com terceiros. Os campos obrigatórios estão marcados como *