Perambulação (2017) – A Insônia Como Metáfora da Dualidade Humana
13/08/2017
Eduardo Kacic (60 artigos)
0 comentários
Compartilhar

Perambulação (2017) – A Insônia Como Metáfora da Dualidade Humana

FacebookTwitterGoogle GmailShare

Como sempre aqui no Humanoides, esta vitrine para o cinema independente brasileiro, procuro discorrer sobre alguns exemplares desta modesta porém transbordante vertente do cinema nacional: os curta-metragens. Cineastas como o pernambucano Lula Magalhães, o goiano Absair Weston e sua filha Jackeline, são alguns dos expoentes dos curtas nacionais sobre os quais já falei aqui. Outro nome a surgir no horizonte é o também goiano Samuel Peregrino, com este seu curta Perambulação (Brasil, 2017).

Lançado exclusivamente em plataforma on demand, contrariando o costume da maioria dos diretores de curtas nacionais, que preferem tentar lançar seus filmes em festivais, o curta-metragem foi lançado na internet através do site Snapcine, plataforma on demand voltada exclusivamente para produções nacionais, sejam elas filmes de longa-metragem, séries, documentários ou curtas.

Na produção, Tiago Rener interpreta o protagonista Nathanael, um jovem vigia-noturno que sofre de insônia, e vive cochilando no serviço. Entretanto, sua insônia tem motivo: um pesadelo recorrente, que se repete noite após noite. Numa tarde, Nathanael comparece à uma consulta com o Dr. Coppelius (Carlos Brandão), que lhe apresenta um novo e infalível método para evitar os pesadelos que lhe tiram o sono. Agora, Nathanael começa a trilhar um perigoso caminho, onde a tênue linha entre o que é real e o que não é, acabou de ser ultrapassada.

Escrito e dirigido por Peregrino, Perambulação transpira uma energia bastante interessante e evidente em todos seus onze minutos de duração. A trama é intrincada e confusa, e confesso que mesmo eu não creio ter compreendido tudo o que Peregrino e seu curta querem dizer. Mas acredito que este é justamente um dos resultados que o jovem diretor queria alcançar com seu filme: levar o público à reflexão, ainda que sem a certeza do que é concreto para que possa se apoiar.

Tal efeito narrativo coloca o público em uma rota muito parecida com a do atormentado protagonista da produção, que perambula pelas noites em busca de uma resposta ao mal que o tortura, e que ganha contornos artísticos graças à excelente edição à cargo de Marcos Bruno. Atrevo-me a dizer que muito do bom resultado final do curta, está em sua arrojada montagem. Marquem este nome: Marcos Bruno. O rapaz é bom.

Flertando com o thriller de suspense, com os elementos Sci-Fi, mas utilizando o pesadelo da insônia como um agravante narrativo bastante realista, Peregrino alcança um resultado muito interessante com seu Perambulação, mais um exemplar deste modesto, porém cheio de energia e fervilhante gênero do cinema nacional, que merece ser descoberto.

Conforme mencionado, Perambulação pode ser conferido neste link, na plataforma Snapcine: http://www.snapcine.com/videos/curtas/perambulacao/

FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

Eduardo Kacic

Eduardo Kacic

Eduardo Kacic é roteirista de longa-metragens, crítico de cinema, palestrante e tradutor cinematográfico. Criador do extinto blog Gallo Movies, colaborou também com os blogs Formiga Elétrica e Filmes e Games. É colunista do Mundo Blá, e agora é colaborador Humanoides desde criancinha. É São-Paulino doente, marido apaixonado da Lígia Oliveira e pai do Pedro Ceni. Sim, o sobrenome é em homenagem ao M1TO.