Kong: A Ilha da Caveira (2017): Quem é a verdadeira fera?
08/03/2017
Paulo V. Carillo (11 artigos)
0 comentários
Compartilhar

Kong: A Ilha da Caveira (2017): Quem é a verdadeira fera?

FacebookTwitterGoogle GmailShare

 

 

Recriando a origem do Gorila colossal Kong, estrelado por Brie Larson (O Quarto de Jack) Tom Hiddleston (Os Vingadores) e dirigido por Jordan Vogt-Roberts. O longa trás uma nova origem para o Gorila que ainda não é o rei e sim um guerreiro protetor de sua ilha e seu povo.

Fugindo das histórias anteriores que Kong é arrancado de seu lar e levado para Nova Iorque, dessa vez a trama mostra um grupo de soldados recém-saídos da guerra do Vietnã comandados pelo Samuel L. Jackson (Os Oito Odiados) um veterano de guerra que desperta um lado vingativo e cruel, que são recrutados para acompanhar exploradores até a mítica Ilha da Caveira, que foi recém-descoberta, em que habitam não só lendas e Kong, mas também insetos gigantes, animais voadores e répteis sem olhos que devoram tudo que está pela frente.

A história não se aprofunda em um relacionamento à moda de A Bela e a Fera, mas em relacionamentos e traumas pessoais, fazendo diversos questionamentos sobre a sociedade, o espaço de cada um, como os inimigos são criados e quem são as verdadeiras feras.

Com um desenrolar rápida a trama vai mostrando todos os principais detalhes de como Kong faz parte da ilha, e as partes que precisam ser aprofundadas são apresentadas brilhantemente por John C. Relly (Guardiões da Galáxia) que é o alivio comigo dentro da história.

As cenas de ação são realmente boas, principalmente às que envolvem Kong enfrentando outros perigos da Ilha da Caveira, com uma trilha sonora muito boa, e um grande entrosamento entre os atores. O 3D é competente, mesmo que em alguns momentos fique aparentemente artificial.

   Kong: A Ilha da Caveira não é um remake da história que já vimos diversas vezes ser contada, e sim uma nova origem dada para o macaco gigante e seu lar, que se conecta principalmente com outro rei dos monstros Godzilla e seus acontecimentos, deixando um novo universo aberto para novas tramas, e encontros.

 

 

 

 

 

FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

Nota
4 de 5
No Geral

Kong não vem como mais uma história contada de origem como conhecemos, e sim uma história que veio apresentar um novo universo que esta se conectando entre monstros gigantes que foram sucesso nos cinemas antigamente, e estão dispostos a se tornarem novamente.

4

Bom
4 de 5
Paulo V. Carillo

Paulo V. Carillo

Publicitário, amante de cinema, livros e super heróis.