Sete Minutos Depois da Meia-Noite (2016): Não é sublime mas possui grandes momentos
21/02/2017
Adilson Carvalho (5 artigos)
0 comentários
Compartilhar

Sete Minutos Depois da Meia-Noite (2016): Não é sublime mas possui grandes momentos

FacebookTwitterGoogle GmailShare
A sinopse e o trailer de Sete minutos depois da meia-noite não são muito encorajadores. A princípio parece que o filme é apenas um punhado de clichês com o propósito de arrancar lágrimas. O que me motivou a investir um tempinho nessa provável bomba foi a assinatura do diretor J.A. Bayona. Mesmo não sendo obras espetaculares, O Orfanato e O Impossível são trabalhos bem divertidos e mostram a competência de Bayona.

09395-joseharo.NEF

Em Sete Minutos depois da meia-noite acompanhamos a história de Connor (Lewis MacDougall), um garoto muito criativo que enfrenta diversos problemas pessoais. Enquanto sua mãe (Felicity Jones) tenta convalescer de um câncer terminal, Connor tem que lidar com a avó autoritária (Sigourney Weaver), a ausência do pai (Toby Kebbell) e os diversos ataques físicos que sofre na escola. Seu único conforto vem de uma árvore colossal (Dublagem de Liam Neeson) que surge aparentemente da imaginação de sua imaginação. O objetivo da tal arvore é contar a Connor três histórias reflexivas em troca de uma que ele deve retribuir no final. Essa amizade peculiar se transforma no principal combustível que impulsiona o garoto a superar os obstáculos.
Baseado no livro homônimo do autor Patrick Ness (que também assina o roteiro), a história não se prende apenas na ótica de Connor, os demais personagens são muito bem colocados e dividem o peso da trama. Suas motivações, falhas e medos são igualmente compreensíveis. Aqui não há vilões estereotipados, todos estão no meio de uma cadeia de acontecimentos dolorosos.

_MG_4431.CR2

Não há muito o que discorrer acerca do roteiro, pois trata-se de um trabalho fácil de digerir, sem espaço para muitas interpretações. É um drama contido sem grandes exageros, mas que desperta ternura e empatia. As aparições da árvore colossal trazem ótimos diálogos e momentos de reflexão.
Os efeitos visuais não são tão robustos, porém são bem sólidos e funcionam perfeitamente, principalmente nas cenas em que há destruição.
Sete minutos depois da meia-noite não é um filme sublime, porém entrega boas atuações e momentos tocantes. Veja sem grandes expectativas e talvez te surpreenda positivamente
FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

Nota
3.5 de 5

3.5

Regular
3.5 de 5
Adilson Carvalho

Adilson Carvalho