Legado de Júpiter:  O difícil caminho em ter pais heróis
23/08/2016
RafaTanaka (733 artigos)
0 comentários
Compartilhar

Legado de Júpiter: O difícil caminho em ter pais heróis

FacebookTwitterGoogle GmailShare

Cansado de ler muitas coisas da DC e Marvel, resolvi optar pelos selos mais alternativos como é o caso da Image, uma editora que possui histórias em outros gêneros não somente heróis, sem falar que suas histórias são mais ousadas e foge do conceito do óbvio e de salvadores em nosso universo.

Recentemente descobri um dos novos trabalhos de Mark Millar, um dos meus roteiristas favoritas nesta nova fase de quadrinhos e responsável por grandes títulos como Superman: Entre a Foice e Martelo e saga Guerra Civil. Longe um pouco das grandes títulos e focado mais em seus trabalhos autorais, ele lança sem muitos devaneios O Legado de Júpiter, que promete revolucionar novamente a visão temos dos heróis que pairam sob os céus de cidades, destinados a salvar mas que no fundo contém segredos jamais descobertos.

 

Focado em uma transparência de nosso atual mundo e na atual fase crise ecônomica que o mundo caminha, temos heróis agindo desde a época da crise e decepção de 1929, Sheldon Sampson (conhecido como Utopia) possui dois filhos, Chhloe e Brandon, ambos decidiram por não seguir o mesmo caminho do pai, ambos levam uma vidas bem diferentes, Chloe é pacifista e vegetariana, enquanto Brandon vive nas sombras dos atos de seu pai, ele deseja de todo custo ser um herói mas constrói um significado deturpado e nunca segue as expectativas do seu pai.

Diferente dos atuais quesitos de histórias de heróis, Mark Millar em parceria com o artista Frank Quitely (Superman Grandes Astros) cria um visão de como seria ter pais heróis,  aquele famoso conflito de gerações, enquanto uma decide seguir o passado e sem tomar partido na política, a nova quer a todo custo se auto afirma, ser a famosa dona da razão e comandar tudo e a todos só porque tem um grande poder em suas mãos.

Um dos pontos poucos explorados por Millar é não se aprofundar nos personagens, as coisas acontecem de uma forma tão rápida que você mesmo se perguntar o porque de tal decisão, não é mostrada aquela construção de caráter e significado, mas não que seja um problema, o Legado de Júpiter tem apenas um arco formado, o segundo ainda está sendo lançado no Estados Unidos.

Legado de Júpiter é nada mais e nada menos que umas transparência de nossas vidas, nascemos e somos criados por nossos pais, vemos como os heróis e muitas vezes queremos alcançar grandes feitos como eles, porém conforme somos apresentados a vida e maturidade, muitos desejam que sigam o caminho deles, aqueles que os ajudou, mas nem todos entendem que o caminho de um nem sempre é o caminho que o outro deve seguir, temos errar, tomar porrada e achar aquela luz no fim do túnel por nós mesmos.

FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

Nota
4 de 5
No Geral

Mark Millar assume mais uma vez que funcionar melhor em projetos solos e autorais, ter a liberdade e maneira para ousar nas críticas sociais e políticas. Mesmo sendo um excelente, a HQ funcionaria melhor se apenas uma minissérie e não querer percorrer um caminho mais longo.

4

Bom
4 de 5
RafaTanaka

RafaTanaka

Diretor de Atendimento/ Planejamento e Redator. Formado em Publicidade e Propaganda. Amante do Cinema, Quadrinhos e Games.