A Era do Gelo: O Big Bang (2016) – O amor em meio ao caos
07/07/2016
Célia Lima (3 artigos)
0 comentários
Compartilhar

A Era do Gelo: O Big Bang (2016) – O amor em meio ao caos

FacebookTwitterGoogle GmailShare

Aposto que a Fox Filmes irá produzir A Era do Gelo 6, 7, 8, + infinito, e sempre arrastará multidões para o cinema. Eu tinha 12 anos quando estreou o primeiro filme, e mesmo que alguns comentem que A Era do Gelo “já deu o que tinha que dar” eu discordo, e tenho certeza que vou assistir todos no cinema mesmo assim, afinal é uma paixão muito antiga. O faturamento dessa franquia é absurdo, e conquistam gerações, fazendo cada vez mais fãs, talvez esse seja o segredo de tanto sucesso depois de 14 anos.

O esquilinho Scrat, na sua saga com a noz, causa acidentalmente uma série de eventos no espaço desencadeando uma chuva de meteoros. Será o fim da Era do Gelo? O filme conta, além dos personagens principais já conhecidos – Sid, Manny e Diego e o resto do grupo – com a volta do engraçado Buck, a doninha que aparece no terceiro filme. Eles têm a missão de salvar o planeta dessa catástrofe, e nessa aventura apocalíptica, além de muita comédia o amor está no ar!

O brasileiro Carlos Saldanha participa da direção até o terceiro filme, os dois últimos contam com outros diretores, Galen T. Chu e Mike Thurmeier (que também dirigiu o quarto filme). A mudança de direção explica o erro cronológico: na Era do Gelo 4 o Scrat causa a separação dos continentes, fato que aconteceu na era dos dinossauros, os mamíferos vieram só depois.

O título em inglês é Ice Age: Collision Course. E de quem foi a brilhante ideia de traduzir para “O Big Bang”? Ficou confuso… Entrei na sala de cinema curiosa para saber como iriam contar essa história, cheguei a cogitar que seria um filme contando toda a origem. Não estava fazendo muito sentido pra mim… Como teríamos o Big Bang sendo mostrado e aparecendo a continuação do quarto filme? A lógica se perdeu. Viagem no tempo talvez?

Ignore a tradução brasileira, A Era do Gelo 5 – Curso de colisão (título em Portugal) faz mais sentido, e chega hoje aos cinemas. Apesar da pouca divulgação dessa sequência, os cartazes estão muito bons.

É um filme engraçado, tem uma história boa que prende o telespectador, porém achei o drama dos mamutes um pouco desnecessário. A dublagem dá um show de qualidade. E o 3D foi feito com muito carinho, vale muito a pena, supera até os 3D de outras animações que estão em cartaz. O Scrat está hilário e garante boas risadas, a vovó do Sid é muito amor, os personagens novos também são interessantes, vale a pena conferir. Mas vale ressaltar que é mais do mesmo, não espere algo inovador.

Sid, o único personagem que desde o começo estava encalhado, encontrará um amor?

FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

Nota
3.5 de 5
No Geral

Todos têm um pé atrás com continuações, essa não deixa a desejar. É um filme pipoca, porém divertido.

3.5

Regular
3.5 de 5
Célia Lima

Célia Lima