A Culpa é das Estrelas: Alguns infinitos são maiores que outros
06/06/2014
David MacLeod (41 artigos)
0 comentários
Compartilhar

A Culpa é das Estrelas: Alguns infinitos são maiores que outros

FacebookTwitterGoogle GmailShare

Saudações, caros leitores!

Como vocês devem saber, nesta semana estreou o filme “A Culpa é das Estrelas”, baseado no best seller de mesmo nome do norte-americano John Green e estrelado pela gatinha Shailene Woodley, protagonista de “Divergente” e que será lembrada ainda por um bom tempo como a atriz que foi demitida do filme do Homem Aranha por estar feia. Como não tenho nenhuma vontade de assistir a esse filme sozinho no cinema e nem vou chamar nenhuma garota para ir comigo, vou comentar sobre o livro, que li despreocupadamente meses atrás.

 

A história é bem simples: Hazel Grace é uma adolescente de 16 anos que tem câncer nos pulmões e, por isso, tem seus dias contados. Não importa o quanto os médicos possam aumentar seu tempo de vida, o câncer irá matá-la antes de ela chegar à vida adulta. Numa de suas idas ao grupo de apoio a crianças com câncer ela conhece Augustus Waters, um adolescente também portador de câncer, no caso, câncer ósseo que lhe amputou uma perna. É claro que eles se aproximam, se apaixonam e…

John Green

O mérito de Green foi escrever uma obra enxuta, sem pieguice e sem transformar o livro numa história arrastada de dor e sofrimento. Tudo bem, Hazel é triste, revoltada e solitária, mas são esses detalhes que a tornam uma personagem crível, seja filosofando sobre o seu livro favorito ou tentando não se apaixonar pelo Augustus por medo de faze- lo sofrer. Mesmo na doença, Hazel descobre o amor, e é isso que irá transformar sua vida.

Esther Grace

Eu poderia escrever um pouco mais, falar que o John Green se inspirou na história de Esther Grace, que ele conheceu através de um canal do Youtube onde ela relativa sua experiência com o câncer (ou ele a conheceu numa convenção de fãs de Harry Potter, como saiu na Folha de S.Paulo de 31/05? Não sei, vou deixar para vocês a tarefa de elucidar essa minha dúvida… E-mails para noitedascorujas@gmail.com). Eu poderia escrever sobre “Uma aflição imperial”, o livro dentro do livro e que acaba servindo como motor para parte dá história, mas quer saber? Apenas leia o livro. Deixe minhas opiniões a respeito dele de lado e simplesmente se entregue à leitura. Você pode até não gostar, mas garanto que não sairá incólume. Okay?

FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

David MacLeod

David MacLeod

Apenas mais um tijolo na parede. Hater da Marvel e Amante da DC, mas as vezes se atreve ler algo da Casa das Ideais, pois o Stan Lee é o rei.