The Power Duos! : Duplas que marcaram a música
18/09/2013
Felipe (23 artigos)
0 comentários
Compartilhar

The Power Duos! : Duplas que marcaram a música

FacebookTwitterGoogle GmailShare

The White Stripes

Dupla formada em Detroit, Meg e Jack White são talvez uma das duplas mais reconhecidas no mundo da música por publico e crítica misturando influências do blues rock com country norte americano que chamou a atenção de todos ao bom e velho rock de garagem que estava meio que esquecido no começo dos anos 2000 e fez de Jack White uma das figuras mais importantes da música da última geração.  Com 6 álbuns de estúdio lançados, o melhor e mais conhecido é o Elephant de 2003 que realmente é uma obra prima mostrando não apenas o ótimo “rock cru” de anos atrás, mas também a extrema capacidade musical de Jack White que é talvez uns dos melhores discos já produzidos da década com certeza. A banda terminou em fevereiro de 2011 com o anúncio no site: “…por uma miríade de razões, mas principalmente para preservar o que é belo e especial na banda e que ele continue assim.” Isso obviamente  desencadeou uma imensa procura pela banda e acusações a Jack White de que precisaria alimentar seu ego com outros projetos solos com apenas seu nome. Após o termino da dupla, o músico dedicou-se totalmente a sua gravadora onde produziu nomes com Alabama Shakes, Laura Marling, Beck entre outros grandes nomes e revelações em sua querida  Third Man Records ; nesse período lançou outro grande disco, que foi dito por muitos como melhor daquele ano, Blunderbuss de 2011 mostrou que por mais que o culpem pelo fim da banda que o deixou reconhecido com sua “irmã mais velha”, o senhor White por mais que discordem, é um dos melhores músicos do seu tempo.

 

 

The Black Keys

Seguindo quase que a mesma linha musical da dupla de Detroit temos o The Black Keys, formado pelo ex capitão de futebol da faculdade Dan Auerbach, e pelo esquisito Patrick Carney em 2001 em Akron, Ohio. Com 7 discos lançados, comparações com White Stripes é inevitável muito por conta da música intimista do rock de garagem que foi extremamente popularizado pela dupla de Detroit mas diferentemente do que parece, a dupla de Ohio é muito influenciada pelo blues de BB King e o rock do Led Zeppelin não que White Stripes não tenha essas inspirações, mas os rapazes aqui deixam mais evidente em suas canções. Mesmo com uma ótima qualidade musical, a banda nunca conseguiu emplacar um grande sucesso, nos primeiros anos mesmo tendo discretos fãs e admiradores o que foi muito importante para a dupla no começo, mas não foi o suficiente para um grande sucesso, nisso foram obrigados a tentar  “ganhar a vida” emplacando musicas em trilhas sonoras  em filmes como Escola de Rock e até a franquia Crepúsculo(lembre-se que eles tinham ganhar a vida)  . Mesmo com algumas indicações a famosas premiações, o verdadeiro sucesso veio com o disco Brothers de 2010 onde emplacou megahits e conseguiu finalmente o merecido reconhecimento a partir daí, e claro a crise de underground de alguns fãs antigos mas nada que afete muito a dupla. Hoje a dupla faz turnês internacionais, ganha prêmios  musicais, é reconhecido por público e crítica e até se sentem a vontade para comprar briga com ídolos pop e tudo mais.

 

 

The Carpenters

Abaixando um pouco o volume e mudando completamente de estilo temos a clássica dupla formada por Richard e Karen Carpenter, os irmão levaram o soft rock ao topo das paradas americanas na década de 70, um feito que convenhamos muito impressionante uma “simples” dupla de irmãos conseguirem isso considerando que na época onde bandas como Led Zeppelin e Black Sabbath revolucionavam com um estilo pesado, os irmãos faziam um distinto estilo na época e se consagrou  como uns dos grupos musicais que mais venderam discos na história. Até a dupla conseguir realmente uma careira musical de sucesso, Richard tentava ingressar em diversas bandas desde 1960 e chamou a atenção de sua irmã para a música mas ainda sim não haviam conseguido o sucesso estando em bandas de colégio, e foi  apenas em 1969 os dois  formaram a dupla e finalmente conseguiram assinar com uma gravadora  onde a partir dai  várias canções de muitos sucesso junto com 15 álbuns lançados ao longo dos anos. Depois do Grande sucesso a banda veio a terminar de forma muito trágica, o começo do término foi por conta  de problemas pessoais  e de saúde por parte de Karen que veio a falecer no ano de 1983 aos 32 anos, mesmo com discos solos lançados Richard obviamente nunca conseguiu alcançar novamente o sucesso que fazia junto com a irmã. Lembrado com carinho e nostalgia por muitos fãs até hoje, The Carpenters é uns dos mais icônicos duos da história da música.

 

 

Daft Punk

Poucas bandas no mundo fizeram tanto barulho na cultura pop com a musica eletrônica como a dupla de robôs do Daft Punk. Formada por Guy – Manuel de Homem Christo e Thomas Bangalter a dupla atingiu o sucesso no final da década de 90 na França onde sempre impressionava desde daquela época, impressão que não mudou  até hoje, se que  muito ouviu se falar em toda mídia do seu mais recente disco lançado. As influência pode ser até uma surpresa (ao menos foi para mim) muito porque ela não remete muito com as músicas da dupla superficialmente pelo menos, mas sim , a sonoridade de Beach Boys, Rolling Stones e The Stooges  era compartilhada por eles na época amigos de escola antes da dupla se juntar, e não só na música Andy Warhol é inspiração na parte visual de seus shows e clipes onde a dupla mais se destaca. Com essa mistura de influências e quatro trabalhos lançados o Daft Punk mostrou-se  uns dos mais importantes duos da indústria, que mesmo que a pessoa não aprecie tanto as batidas eletrônicas (me incluo nessa caso) tem que admitir que a indústria e a cultura pop não seria igual e se não fosse os franceses.

 

 

 Tenacius D

Formada por Kyle Gass e o ilustre Jack Back o Tenacius D como todos sabem, é uma banda de hard rock americana que se formou em 1994, mas o reconhecimento do grande público veio com a estreia da série de TV Tenacius D que começou em 1997 na HBO, uma série voltada ao humor que é o estilo que a dupla sempre manteve; O programa terminou em meados dos anos 2000 muito porque a dupla queria se focar quase que exclusivamente em suas músicas e composições, a dupla continuou a se apresentar ao vivo sempre apresentando canções inéditas com letras voltadas para o humor característico da dupla que mistura sua música a influências de Led Zeppelin,  AC/DC  e entre outras clássicas bandas de rock. Entre um show e outro foi em Los Angeles que a duplas encontrou seu maior “padrinho”, Dave Grohl se mostrou muito impressionado com o trabalho da dupla, afinal suas inspirações eram praticamente as mesmas,  logo os dois foram convidados a participar do clipe da banda de Dave “Learn to Fly”, mais uma ação que obviamente só fez aumentar cada vez mais o reconhecimento pela dupla de humoristas , abrindo show de bandas como Pearl Jam, Back e  claro o Foo Fighters . com dois discos lançados e um filme sobre a “história” da banda, o Tenacius D brinca de fazer rock e convenhamos faz melhor do que muitas bandas sérias por ai.

 

 

The Last Shadow Puppets

Mesmo sendo um passageiro projeto paralelo, ainda sim vale citar o grande trabalho feito por Milles Keane e Alex Turner  com único disco lançado  pela dupla The Last Shadow Puppets o “The Age Of Understatement”, o disco foi um sucesso de público e crítica lotado de influências que não víamos com as bandas habituais dos garotos ingleses. O disco é de uma qualidade excelente mostrando a grande capacidade dos dois amigos que causou uma grande euforia principalmente da crítica britânica que chegou a comparar Milles e Alex a John e Paul. Mas mantendo o pé no chão e deixando de lado comparações exageradas muito por conta dos Beatles ser uma das grandes influencias para a dupla, “the Age Of Understatement” pode se dizer que foi o chamado “divisor de aguas” para a carreira dos dois músicos, porque antes da parceria se formar, Milles Keane era integrante do The Rascals que se separou depois do projeto paralelo terminar fazendo Milles se dedicar a sua carreira solo que está muito bem por sinal. Já Alex misturou toda esse experiência, e junto com sua banda de costume trouxe uma grande bagagem musical para mudar quase que totalmente o som do Arctic Monkeys  no seu terceiro disco o Humbug.

 

 

 

FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

Felipe

Felipe

Desde que me entendo por gente, o cinema e a música sempre foram muito na minha vida, apreciando a todas as melhores bandas do mundo e sempre um bom filme a qualquer hora não faz mal a ninguém.