Posts de Eduardo Kacic

Crítica: Fear, Inc. As referências cinematográficas (e também na TV) se tornaram quase que uma fixação por parte dos cinéfilos e espectadores nos últimos anos. Algumas produções, praticamente existem e fazem enorme sucesso, por serem elas próprias uma referência. Exemplo

A Sci-Fi moderninha Morgan (EUA, 2016), era o tipo de filme que tinha tudo para dar certo. Um elenco classe A, um conceito narrativo interessante e atual, e tudo bancado por um grande estúdio, fatores que poderiam render um thriller

Crítica: SiREN Em 2012, foi lançada a antologia de Horror independente V/H/S, que compilava cinco contos de terror, dirigidos por jovens e promissores cineastas do gênero, entre eles, o ainda desconhecido (mas não por muito tempo, espero) David Bruckner, que

Crítica: The Eyes of My Mother 2016 foi um ano prolífico para produções de cunho bizarro que conseguiram a façanha de chegar ao grande público. Produções como Um Cadáver Para Sobreviver (Swiss Army Man), de Dan Kwan e Daniel Scheinert,

Crítica: O Túmulo dos Vagalumes (Grave of the Fireflies/Hotaru no naka) Lançada em 1988, esta belíssima (mais uma) animação do Studio Ghibli, o gigantesco estúdio de animação responsável por verdadeiras gemas como A Viagem de Chihiro (Spirited Away, 2001), Princesa

Crítica: Vá e Veja (Come and See) “Eu disse deixem as crianças. Porque com as crianças, pode-se recomeçar tudo de novo. Vocês não tem o direito de existir. Nem toda raça tem o direito de existir”. Palavras de um soldado

Quando vi o trailer deste The Monster (EUA, 2016) pela primeira vez, confesso que minhas papilas gustativas salivaram, com a promessa de um novo O Babadook, horror psicológico lançado na surdina em 2014, e que acabou por se tornar um

Crítica: Mandala Night Club Exibido nos festivais Grotesc O Vision, Festival Internacional de Filmes de Terror de Curitiba, Cine de Bordas do Itau Cultural em São Paulo, Festival Boca do Inferno também em São Paulo, e recentemente no Trash Internacional

Crítica: Viagem Maldita (The Hills Have Eyes) Assistir à este Viagem Maldita (The Hills Have Eyes, EUA, 2006), é embarcar em um pesadelo completo, violento e brutal. O então jovem diretor francês Alexandre Aja (Alta Tensão, 2003) e Espelhos do

Crítica: Fome Animal (Braindead/Dead Alive) Muitas galáxias antes de se aventurar pela Terra Média e se tornar um dos nomes mais importantes do cinema atual, o diretor neo-zeolandês Peter Jackson era um dos novos nomes do gênero “terrir” de baixíssimo