Posts de Eduardo Kacic

Crítica: John Wick: Um Novo Dia Para Matar (John Wick: Chapter 2) Quando lançado em 2014, uma pequena gema da ação capturou imediatamente minha atenção e também a de vários fãs do gênero. O filme era De Volta ao Jogo

Crítica: A Seita Misteriosa (Sound of My Voice) No mesmo ano em que surgiu com o ótimo A Outra Terra, a atriz e roteirista Brit Marling escreveu e atuou também neste A Seita Misteriosa (Sound of My Voice, EUA, 2011),

Crítica: The Battery (Ben & Mickey Vs. the Dead) Geralmente, qualquer produto sobre zumbis, do tipo a sensacional série The Walking Dead, ou os filmes do mestre George A. Romero, falam sobre os terrores de um apocalipse zumbi. Já este

Crítica: Por Trás da Máscara: O Surgimento de Leslie Vernon (Behind the Mask: The Rise of Leslie Vernon) Infelizmente ainda uma comédia (e/ou um meta-Horror) criminosamente não descoberta(o) pelo grande público, Por Trás da Máscara: O Surgimento de Leslie Vernon

Bastante simplista, mas de enorme coração, este edificante drama All We Had (EUA, 2016) marca o retorno à boa forma da atriz Katie Holmes, atriz que ainda bem jovem, ficou bastante conhecida no final da década de noventa e início

Em 1995, o diretor Larry Clark chocou o mundo com seu drama semi-documental Kids, produção que escancarou o que então era o princípio de um terrivelmente frenético mergulho dos jovens no mundo do sexo sem compromisso ou proteção, e no

Crítica: Papai Noel às Avessas 2 (Bad Santa 2) A comédia mal-educada Papai Noel às Avessas (Bad Santa), dirigida pelo ótimo Terry Zwigoff em 2003, é uma de minhas comédias preferidas. Um verdadeiro show de maus exemplos que arrancou de

Crítica: Quarry – Primeira Temporada Em 2013, dentre tantas séries que ganharam o monopólio da mídia e dos fãs, como Game of Thrones, The Walking Dead e Breaking Bad, foi lançada uma daquelas séries underrated, cuja existência até hoje é

Exibido com destaque no Tribeca Film Festival 2016, o thriller independente Always Shine (EUA, 2016) carrega uma profunda carga dramática e pungente tensão psicológica, durante seus breves 80 minutos de duração. Infelizmente, a produção demora a ganhar ritmo, e após

Crítica: The Frontier Difícil encontrar alguma razão para se aventurar por este entediante The Frontier (EUA, 2016), que não seja pela beleza de sua protagonista, a lindíssima Jocelin Donahue (de A Casa do Diabo e Sobrenatural: Capítulo 2), uma das