Entre a sorte e o azar no mundo de Binbougami Ga!
17/02/2015
Lucas Alves (34 artigos)
0 comentários
Compartilhar

Entre a sorte e o azar no mundo de Binbougami Ga!

FacebookTwitterGoogle GmailShare

Todo mundo sabe que o azar é uma bela de uma m3rd@. Chegar atrasado, esquecer as chaves, perder o ponto de ônibus, tomar chuva por esquecer o guarda-chuva, dentre outros diversos casos de incidentes que atrapalham nossa vida definem que somos sucetíveis à qualquer defeito. Mas…

Sakura Ichiko não é assim! Tira notas altas, vive em um bairro de classe média alta, possui um mordomo para agradar às suas necessidades, e é admirada ou invejada pelas outras pessoas de sua classe.

Isso até Momiji, uma Deusa do Azar, entrar em seu pequeno mundo alegre e alertá-la sobre sua vida perfeita.

E isso é só o começo da história.

Ichiko, apesar da vida perfeita, está desbalanceando o fluxo entre sorte e azar, absorvendo toda a sorte que equilibra o mundo à sua volta, e fazendo com que todas as outras pessoas à sua volta se tornem azaradas. Em curto prazo isso não fará tanta diferença, mas à longo prazo, haverão consequências sérias para as pessoas à sua volta, como seu mordomo, e amigos que Sakura vier a ter. Então cabe ao objetivo de Momiji retirar toda a sorte de Sakura para criar um balanço entre a sorte e o azar de todos.

Referências são frequentes, porém aplicadas de uma maneira sutil e original.

A série é bem animada, focada nas relações entre os personagens, tendo um desenvolvimento de cada personagem excelente, conforme os capítulos progridem. Sakura começa como uma típica patricinha orgulhosa, mas pouco à pouco vai se tornando uma pessoa que dá mais consideração ao próximo, ao ponto de criar um círculo de amigos(nada tradicional) e preservar o devido valor à amizade.

Em relação aos outros personagens, temos várias pessoas que possuem personalidades marcantes. Além de Sakura, temos Momiji, que possui uma personalidade mais adulta, porém adora irritar Sakura quando pode para roubar sua sorte(no sentido literal), além de Ranmaru, uma garota que, por ter sido criada pelo pai, um mestre de karatê, age como um homem para sucedê-lo como mestre de um dojo, além do monge pervertido Bobby, o sério trabalhador Keita, além de vários outros coadjuvantes que marcam presença.

A comédia na série tende a adotar, além dos padrões nonsense já vistos no mundo dos animes, um efeito slapstick, presente no estilo de Momiji, já que cenas simples de brigas entre ela e Sakura são frequentes, porém, sem perder a graça, o que torna a série muito mais interessante.

O dia-a-dia dessas duas dá quase uma vinheta de filme da tarde.

Também cito a dinâmica no traço, tanto no mangá quanto no anime, que podem ser tão tradicionais quanto qualquer outro mangá japonês, e súbitamente adicionar uma pitada de humor americano, com um traço mais agressivo, sem perder o bom humor.

Curiosamente, esse homem(Bobby) é uma paródia ao americano estereotipado, em certo momento do anime fazendo referência ao presidente Obama.

O mangá foi escrito e desenhado por Sukeno Yoshiaki, e publicado pela Shueisha, tendo 16 volumes, do período de 2008 até 2013.

FacebookTwitterGoogle GmailShare

comentários

Marcadores Animes, manga
Lucas Alves

Lucas Alves

Compositor e Escritor amador, gosto um pouco de animes, música e short-stories da internet.

Comentários

Sem Comentários Ainda Você pode ser o primeiro a comentar neste post!

Escrever comentário

Seus dados estarão seguros! Seu endereço de email não será publicado. Seus outros dados também não serão compartilhados com terceiros. Os campos obrigatórios estão marcados como *